Empreendedorismo para PMEs terem sucesso

A imagem ilustra pessoas em um escritório fazendo negócio
Desafios e dicas para entender qual é o seu negócio e obter sucesso
27/02/2020
Pessoas dando as mãos

Empreendedorismo é para todos! Quando pensamos em processo empreendedores, logo nos vem a mente o conceito já enraizado em nossa cultura: alguém que percebe oportunidades de negócios e cria os meios para transformar ideias em produtos e serviços. O empreendedor seria, então, uma pessoa que faz acontecer. Se você pensar bem, estamos diante da realidade das PMEs, não é mesmo? 

A grande questão é a eficiência dos processos de empreendedorismo no contexto das pequenas e médias empresas. E é justamente neste cenário que entra em cena a teoria do empreendedorismo unificado como um caminho a ser seguido pelas PMEs. Essa teoria vem sendo desenvolvido pelo jovem empreendedor Eric Ries. Ele defende que os mesmos processos empreendedores utilizados nas startups podem, e devem, ser realizados em qualquer tipo de empresa. 

Vamos entender melhor do que se trata a teoria do empreendedorismo unificado e como podemos aplicá-la na sua PME para nos destacarmos dos concorrentes e alcançar aquilo que todas as empresas buscam: crescimento e sucesso. 

Empreendedorismo é uma atividade diária 

Capa do livro O Estilo Startup de Eric Ries

Se o processo empreendedor é identificar oportunidades e transformar ideias em negócios, lançamos duas perguntas ao leitor: Por que, muitas vezes, tratamos o Empreendedorismo como um fenômeno distante das nossas empresas? E por que não percebemos como pessoas com perfil de Empreendedor Corporativo podem ajudar na transformação contínua das nossas organizações?

Essas perguntas não são um mero recurso retórico. Nós as fazemos baseados na nossa experiência profissional como consultores, palestrantes e professores universitários. Notamos constantemente as dificuldades que as PMEs enfrentam no cotidiano de identificar as oportunidades de negócios e, principalmente, de levarem à cabo a concretização das ideias em ações práticas e rentáveis.  

Para respondê-las e, ao mesmo tempo, começar a traçar os primeiros passos para mudar a cultura empreendedora na sua em empresa, vamos recorrer à teoria do empreendedorismo unificado. As bases para essa teoria foram desenvolvidas por Eric Ries, no livro O Estilo Startup, publicado no Brasil em novembro de 2019. Nesta obra, o autor aponta como empresas tradicionais podem crescer utilizando a tática das Startups. 

As ideias do jovem empreendedor estão chamando a atenção até de grandes corporações como GE, por exemplo. Portanto, vale a pena olharmos mais atentamente para os insightsoferecidos por Ries! 

Estratégia tradicional: processos centralizados de empreendedorismo   

Ao analisar as estratégias de empreendedorismo adotas pela maior parte das empresas tradicionais, Eric Ries identificou, e nós estamos de acordo com ele, que a maior parte delas está sempre realizando algumas das quatro atividades descritas abaixo. E o fazem aplicando o conceito de Empreendedorismo Constantemente. A rotina se dá a partir de: 

  1. Criar produtos novos e buscar novas fontes de crescimento;
  • Criar novos “produtos internos”, como sistemas de TI e políticas de RH;
  • Realizar desenvolvimento corporativo: compra de outras empresas, startups ou licenciamento de tecnologia;
  • Realizar reestruturação ou transformação corporativa, destinando equipes para introdução de uma nova forma de trabalho.

De fato, Ries acerta o alvo ao dizer que essas quatro tarefas são realizadas diariamente na maior parte das empresas. Nesse sentido, é importante ressaltar a existência também uma certa dificuldade de entendimento dos conceitos de empreendedorismo, bem como das táticas adequadas para desenvolvê-los. Essa dificuldade, possivelmente, está relacionada ao fato de que, de modo geral, não temos uma equipe destinada exclusivamente a esta atividade. 

O resultado da estrutura tradicional de processos de empreendedorismo é que o fluxo das boas ideias e das melhorias contínuas acabam ficando limitadas às áreas em que estão sendo desenvolvidas, ou seja, sem integração com as demais áreas da empresa e, portanto, sem o tão importante e necessário engajamento de todas as pessoas que trabalham na organização. 

Área Funcional empreendedora: um caminho possível

Equipe de jovens reunidos no escritório para discutir empreendedorismo

Para evitar essa espécie de centralização dos processos empreendedores, Eric Ries sugere que as empresas tradicionais utilizem as estratégias utilizadas pelas Startups para empreender com eficiência e sucesso. Isso significa criar o que ele chama de Área Funcional Empreendedora, com uma equipe que conheça profundamente qual é exatamente o negócio da empresa. Se você tem dúvida sobre qual é, de fato, o seu negócio, sugerimos a leitura desse artigo aqui.  

Trata-se de reunir uma equipe específica e com alta capacidade para mapear boas ideias no seio das próprias organizações, bem como desenvolvê-las e transformá-las em produtos e/ ou serviços. E, com isso, viabilizar uma transformação contínua dentro das organizações.

No entanto, para que o desenvolvimento da Área Funcional Empreendedora tenha sucesso e traga frutos positivos, Ries destaca a importância de seguir alguns pilares fundamentais. São eles:

  • Atribuição da responsabilidade da área funcional empreendedora a alguém dentro da empresa (área de marketing, área de tecnologia, etc.).
  • Distribuir verdadeiramente responsabilidade operacional às pessoas escolhidas;
  • Criar um plano de carreira e indicadores de desempenho específicos;
  • Facilitar o treinamento multidisciplinar e oferecer orientações adequadas para o desenvolvimento eficiente das atividades. 

Potencialidades fundamentais da equipe para a Área Funcional Empreendedora

Resumindo, o autor enfatiza que as PMEs precisam dar a devida atenção e credibilidade para a Área Funcional Empreendedora. Isso porque ela possui importância crucial tanto do ponto de vista estratégico quanto executivo, haja vista que terá a responsabilidade pela transformação contínua das empresas. Diante disso, nada mais natural que juntamente com a importância da área venha também a exigência de potencialidades específicas.  

As pessoas que compõe a Área Funcional Empreendedora, que pode ter um, dois ou mais integrantes, possuem algumas características e potencialidades indispensáveis a um empreendedor. Destacamos as três principais: 1) poder e conhecimento para desenvolver a busca constante de oportunidades; 2) capacidade para trabalhar em cenários de incerteza; 3) foco absoluto nos clientes, ou seja, produtos e serviços que irão gerar valor a eles.

Empreendedorismo é ter os pés no agora e olhar no futuro

Se olharmos com atenção para os processos de empreendedorismo, chegaremos a conclusão que o conceito de empreender traz em seu núcleo a necessidade de ter os pés no agora para identificar as necessidades e, consequentemente, oportunidades de negócios. E, assim, desenvolver soluções para os clientes num futuro muito próximo, mas que nem por isso deixa de ser futuro. 

Ainda com o olhar no futuro, podemos dizer também que o sucesso da atividade empreendedora está na capacidade de prever tendências e, portanto, identificar as oportunidades e antecipar as soluções. É neste sentido que a Área de Funcional Empreendedora é tão importante. E, acreditem, o desenvolvimento e implantação dela está ao alcance de quaisquer PMEs e campos de atuação. 

Para fechar nosso artigo de hoje, deixamos ao leitor a garantia de que o conceito de Empreendedorismo, tal como apresentamos aqui, está mais perto da rotina da sua empresa do que você imagina. O seu diferencial estará na criação de uma Área Funcional Empreendedora que dedique a identificar, mapear, testar e medir boas ideias que surgem dentro das nossas empresas. É assim que você conseguirá promover a transformação continua, sempre em direção ao sucesso.

Boa sorte e até o próximo artigo!  

Giovana Vieira